Geistlich Bio-Graft®

 

O que é Geistlich Bio-Graft®?

Geistlich Bio-Graft® é um bloco ósseo xenógeno com dimensões de 10x10x5mm. A estrutura óssea esponjosa contém colágeno endógeno que garante propriedades mecânicas para a fixação dos parafusos.

Ao contrário dos outros substitutos ósseos em bloco, Geistlich Bio-Graft® é hidrofílico e pode ser umedecido com soro fisiológico, que é o meio adequado para permitir uma absorção sanguínea rápida. Os poros interconectados e sua composição natural permite uma notável incorporação ao leito receptor.

“Geistlich Bio-Graft® representa uma opção como material regenerativo para pequenas reconstruções alveolares localizadas”
Prof. Dr. Hugo Nary Filho

Geistlich Bio-Graft® evita um segundo leito cirúrgico para a coleta do bloco de osso autógeno em tratamentos de rebordos alveolares quando não há volume ósseo suficiente para permitir a colocação do implante. 

  1. Pacientes com comprometimento sistêmico e fumantes são fatores de risco para cirurgias utilizando Geistlich Bio-Graft®.
  2. O remanescente da crista alveolar ainda deve conter osso medular (> 2,5mm) e uma geometria óssea favorável para que seja possível garantir um leito receptor bem vascularizado  - sem bordas em “lâmina de faca”.
  3. O tecido mole saudável antes do procedimento cirúrgico é um fator importante para diminuir o risco de deiscência.
  4. O formato do retalho é essencial: retalho total e incisões verticais relaxantes com a distância de um dente do defeito.
  5. Utilizar apenas materiais estéreis para manusear o Geistlich Bio-Graft®.
  6. Modelagem do bloco com broca carbide para garantir o melhor contato possível com o leito receptor antes da fixação, bem como um efetivo arredondamento das bordas (mesmo em defeitos tipo-tenda).
  7. A perfuração da cortical aumenta a vascularização - porém, é preciso ter cuidado para não interferir na futura fresagem para o parafuso e evitar uma fixação insuficiente.
  8. O Geistlich Bio-Graft® deve ficar em contato direto com o osso do leito receptor. Não deve haver material entre o Geistlich Bio-Graft® e o osso hígido.
  9. O Geistlich Bio-Graft® deve ser extremamente hidratado com soro fisiológico durante a modelagem intraoperatória, seguido de hidratação completa através do sangramento do retalho no local cirúgico.
  10. Reparafusamento dos parafusos após o completo molhamento com sangue, se necessário.
  11. O Geistlich Bio-Oss® deve ser aplicado apenas ao redor do Geistlich Bio-Graft® para preencher os gaps, seguido da Geistlich Bio-Gide® aplicada sobre os materiais regenerativos.
  12. Sem sobrecontorno para garantir um fechamento do retalho sem tensões e já que não há necessidade, pois não se nota uma reabsorção relevante do volume.
  13. A escolha da sutura deve visar um fechamento livre de tensões. Suturas duplas com fio não reabsorvível e fios de monofilamento têm demonstrados ótimos resultados.
  14. Tempo de cicatrização de 6-9 meses dependendo da morfologia do defeito.
  15. Após a instalação do implante, recomenda-se esperar pelo menos 8 semanas para a colocação do abutment e/ou carga.

 

As seguintes considerações e etapas do procedimento representam a estratégia terapêutica conduzida pelo Prof. Frank Schwarz (Alemanha):

Uso indicado:

A principal indicação do Geistlich Bio-Graft® é o enxerto e/ou a reconstrução horizontal de rebordos alveolares unitários. Antes da cirurgia: O perfil de risco do paciente, a colaboração do paciente e os requisitos cirúrgicos devem ser considerados em cirurgias usando blocos de osso autógeno sendo cruciais para um resultado clínico ideal.

A produção de prototipagem através de Tomografia Computadorizada pode auxiliar no planejamento cirúrgico, sendo utilizada para estimar a topografia do defeito e a quantidade de blocos a serem utilizados.

É crucial levar em consideração os achados radiográficos quando optase utilizar Geistlich Bio-Graft® no tratamento.

Uma fixação adequada do(s) parafuso(s) requer a presença de quantidade suficiente de osso remanescente. Recomendase selecionar parafusos com cabeças cuja a face plana fique voltada para o bloco (cabeça expandida).

 

Etapas do Procedimento

1. Desenho do retalho e preparo da área usando abordagem microcirúrgica

A incisão deve começar na linha mediana da crista óssea, sendo orientada ligeiramente para palatina, mas permanecendo dentro da faixa de tecido queratinizado. A incisão com microlâmina deve ser efetuada em um local distante do leito a ser enxertado.

O retalho deve ser de espessura total e mobilizado através da incisão horizontal. Pelo menos um dente vizinho de cada lado deve ser incluído no desenho do retalho. Duas incisões relaxantes verticais e uma incisão relaxante interrupta e superficial no periósteo possibilitam um fechamento da ferida sem tensões. A região vestibular do retalho deve ser também elevada a fim de permitir uma certa mobilidade do retalho. Isso viabilizará, mais tarde, um fechamento do retalho sem compressão do leito enxertado. Essa abordagem ajuda a prevenir possíveis deiscências e falhas.

Uma vez exposto o defeito, remove-se completamente o tecido de granulação a fim de assegurar uma avaliação correta das dimensões do defeito. Um contato íntimo entre Geistlich Bio-Graft® e o leito receptor é essencial.

Além de cortar o bloco no tamanho adequado, é indicada uma adaptação do leito receptor com uma broca esférica visando aprimorar o contato entre o bloco e o osso remanescente. Recomendase sempre o uso de um sistema de refrigeração para adaptação no leito.

 

2. Preparo e aplicação do Geistlich Bio-Graft®

O processo de adaptação, manipulação e aplicação do Geistlich Bio-Graft® deve ser efetuado em estado seco. O Geistlich Bio-Graft® deve ser adaptado da melhor maneira possível a fim de garantir o melhor contato possível com o leito receptor. O Geistlich Bio-Graft® deve ser especialmente desgastado no lado que ficará voltado para a posição apical.

Recomenda-se o uso de uma brocas esféricas do tipo carbide para modelar a estrutura em estado seco. Todos os passos devem ser realizados com instrumentais estéreis a fim de prevenir qualquer contaminação do material enxertado.

A perfuração do osso cortical deve ser efetuada somente após modelar o bloco. A área que sofrerá a fresagem para colocação do parafuso deve ser respeitada no momento das perfurações. Deste modo, o leito receptor está pronto para receber o enxerto Geistlich Bio-Graft®.

 

3. Perfuração e fixação

Assim que o melhor contorno possível juntamente com a melhor adaptação é alcançada, o Geistlich Bio-Graft® pode ser perfurado depois de se colocar o dispositivo in situ ou pode ser pré-perfurado, usando em ambos os casos uma fresa de pequeno diâmetro. Além de evitar calor excessivo, a irrigação com soro fisiológico ajuda a umedecer a estrutura do Geistlich Bio-Graft® durante a perfuração nesta fase.

O diâmetro da fresa deve ser inferior ao parafuso a fim de assegurar um contato firme do parafuso na estrutura trabecular do Geistlich Bio-Graft®. Deve-se ter cuidado em não alargar o furo inadequadamente durante o processo de perfuração. Manter uma distância de, pelo menos, 2 mm dos dentes vizinhos. O bloco deve ser fixado firmemente no leito receptor. Assegure-se de que o parafuso fique alinhado com a superfície lateral do Geistlich Bio-Graft®, reduzindo assim qualquer risco de uma potencial lesão do tecido mole. Em alguns casos, um segundo parafuso pode reduzir o risco de micromovimentos, normalmente associados à complicações durante o processo de regeneração.

Uma vez fixado, o bloco pode ser adaptado posteriormente. Certifiquese que as margens do bloco estejam arredondadas a fim de evitar complicações no tecido mole. É essencial criar contornos que se adaptem ao rebordo.

 

4. Verificação da mobilização do retalho e sangramento do leito cirúrgico

Antes de efetuar os próximos passos, é crucial irrigar primeiro o Geistlich Bio-Graft®, abundantemente, com soro fisiológico e garantir, em seguida, que a estrutura seja totalmente embebida com sangue.

A mobilização temporária do retalho em posição de fechamento facilita o umedecimento do Geistlich Bio-Graft® com sangue. Devido à incisão periostal anteriormente realizada, o sangramento deve ser suficiente. É aconselhável verificar se as incisões relaxantes foram efetuadas corretamente, visando facilitar uma mobilização completa do retalho. Uma incisão periostal interrupta, executada cuidadosamente, pode diminuir o risco de deiscência do tecido mole. Nesta fase, a execução de pequenas adaptações podem facilitar um fechamento da ferida sem tensões.

É importante verificar se o parafuso está ainda fixando firmemente o bloco enxertado, após umedecer o enxerto com sangue, reapertando o parafuso, quando necessário.

 

5. Preenchimento dos gaps remanescentes, contorno e cobertura do local enxertado.

Os espaços e gaps devem ser complementados e preenchidos com grânulos de Geistlich Bio-Oss®. As margens do Geistlich Bio-Graft® podem ser remodeladas com Geistlich Bio-Oss®. Porém, não utilize grânulos sobre o bloco. É importante evitar sobrecontornos excessivos. Não utilize nenhum biomaterial ou osso autógeno entre o leito receptor e Geistlich Bio-Graft®. A Geistlich Bio-Gide®, depois de cortada adequadamente, é colocada, cuidadosamente, no local enxertado sem fixação adicional, ou pode ser fixada com pinos na face lingual / palatina e vestibular. A membrana de colágeno Geistlich Bio-Gide® aprimora a adesão do retalho e reduz o risco de deiscência do tecido mole. O preenchimento dos gaps com o Geistlich Bio-Oss® contribui para um contorno perfeito, além de promover uma cicatrização sem complicações com Geistlich Bio-Gide®.

 

6. Estabilização da ferida

A estabilização mediante fechamento adequado da ferida é crucial. Contudo, deve-se evitar a tensão. Isto é outra razão pelo qual se recomenda efetuar um retalho mais largo e garantir uma mobilização completa do retalho. Recomenda-se começar com sutura dupla nas regiões mesial ou distal, para um fechamento crestal, alternando depois com pontos simples para fechar a incisão vertical da direção crestal para apical. O retalho é coaptado em ambos os lados, terminando na região central da linha da crista. Deve-se evitar utilizar apenas pontos simples para o fechamento de feridas crestais. Fio de sutura não reabsorvível, monofilamento 5/0 para suturas com pontos duplos e 6/0 para suturas de pontos simples tem dado bons resultados.

 

7. Recomendação pós-cirúrgica

Como em qualquer local enxertado, é necessário atuar com maior prudência quanto aos cuidados pós-operatórios e práticas de higiene na área de intervenção e nas proximidades desta. É essencial uma limpeza suave e atraumática da ferida a fim de suportar a transição da fase inflamatória para a fase de proliferação associada à cicatrização do tecido mole. Durante as primeiras 4 semanas após a cirurgia, é importante evitar alimentos sólidos. Durante os primeiros 6 meses, os locais adjacentes não devem ser sujeitos a sondagem, raspagens ou alisamentos radiculares.

 

8. Consultas de controle, remoção da sutura

As visitas de controle e para remoção da sutura devem ser planejadas de acordo com os protocolos usuais.

 

9. Colocação do implante

Deve esperar-se um período de cicatrização de pelo menos 6 meses antes do implante ser colocado. O período de cicatrização exato antes da implantação também depende da morfologia do defeito e do tempo decorrido entre a colocação do implante e a ligação do pilar e a carga, respectivamente. A incisão crestal é orientada ligeiramente para a palatina, tendo cuidado para evitar o acesso entre a parte enxertada e o osso nativo durante a elevação do retalho. Ao contrário do acesso cirúrgico do enxerto o retalho deve ser o menor possível a fim de viabilizar a remoção dos parafusos e a instalação do implante. Se o(s) parafuso(s) não interferir(em) com a posição planejada do implante, é indicado remover o parafuso somente após o implante ter sido colocado. Uma vez instalado o implante e feita a ligação do pilar de cicatrização, é efetuado o fechamento do retalho sem tensão. Caso seja realizada restauração provisória, deve-se evitar o contato direto com a área enxertada.

 

10. Colocação de Carga

Após a instalação do implante, recomenda-se esperar pelo menos 8 semanas para a colocação do abutment e/ou carga.

  

 

Geistlich Pharma do Brasil
Av. Brig. Faria Lima
1461 - 13 andar - cj. 131/134
01452-002 São Paulo - Brazil
TEL: (11) 3097-2555
FAX: (11) 3097-2550
infogeistlich.com.br

FAQ:
  • Quando usar o Geistlich Bio-Graft<sup>®</sup>?
  • Quais são os benefícios mais importantes do Geistlich Bio-Graft<sup>®</sup>?
  • Qual é o tempo proposto de cicatrização até a colocação do implante e antes da carga?
  • Qual é a evidência clinica e a atual taxa de sucesso do Geistlich Bio-Graft<sup>®</sup>?
  • Por que o Geistlich Bio-Oss<sup>®</sup> e a Geistlich Bio-Gide<sup>®</sup> são recomendados?