AMIC® Anca

Um inovador método de reparação biológica de cartilagem para o tratamento de condropatias do acetábulo e na cabeça femoral na anca

  • Uma técnica minimamente invasiva permite uma hospitalização mais breve e uma reabilitação mais rápida
  • Baseada na microfraturação, representa o tratamento de primeira linha estabelecido1,2
  • Económico procedimento de uma etapa única para tratamento de lesões >2 cm2, isoladamente não adequado para microfratura2,3
  • Proteção de coágulo de sangue numa câmara «bioativa» fornecida pela matriz da Chondro-Gide®.4,5
  • Utilização ad hoc e fornecimento pronto a usar da Chondro-Gide®, a matriz de colagénio natural líder na regeneração das cartilagens

Condropatias do acetábulo e da cabeça femoral são uma causa frequente de dor e limitação funcional. Além disso, se os defeitos da cartilagem na anca não forem devidamente reparados, poderá verificar-se a progressão dos danos e alterações artríticas. Várias opções de tratamento estão disponíveis para reparar lesões condrais na anca, incluindo desbridamento, microfratura, implantação de condrócitos autólogos (ACI) e agora a técnica de anca artroscópica AMIC®.6,7

Os procedimentos artroscópicos são mais desejáveis do que a cirurgia aberta porque são menos invasivos, reduzindo por isso o risco de complicações, como infeções e necrose avascular da cabeça femoral, e permitem um menor tempo de recuperação, resultando não só em custos de tratamento geral mais reduzidos, como também em mais satisfação dos pacientes.7,8

Indicações

  • Lesões condrais de grau III ou IV (classificação de Outerbridge) no acetábulo ou na cabeça femoral
  • AMIC® no acetábulo e microfratura na cabeça femoral para lesões por erosão
  • Tamanho da lesão entre 2 cm2 e 8 cm2

 

References:

  1. Benthien JP, Behrens P. Autologous Matrix-Induced Chondrogenesis (AMIC): Combining Microfracturing and a Collagen I/III Matrix for Articular Cartilage Resurfacing. Cartilage. 2010;1(1):65-8
  2. Steadman JR, Rodkey WG, Briggs KK. Microfracture to treat full-thickness chondral defects: surgical technique, rehabilitation, and outcomes. J Knee Surg. 2002;15(3):170-6
  3. Fontana A. A novel technique for treating cartilage defects in the hip: a fully arthroscopic approach to using autologous matrix-induced chondrogenesis. Arthrosc Tech. 2012 Apr 21;1(1):E63-8
  4. Fuss M, Ehlers EM, Russlies M, Rohwedel J, Behrens P. Characteristics of human chondrocytes, osteoblasts and fibroblasts seeded onto a type I/III collagen sponge under different culture conditions. A light, scanning and transmission electron microscopy study. Ann Anat. 2000 Jul;182(4):303-10
  5. Dickhut A, Dexheimer V, Martin K, Lauinger R, Heisel C, Richter W. Chondrogenesis of human mesenchymal stem cells by local transforming growth factor-beta delivery in a biphasic resorbable carrier. Tissue Eng Part A. 2010 Feb;16(2):453-64
  6. Yen YM, Kocher MS. Chondral lesions of the hip: Microfracture and chondroplasty. Sports Med Arthrosc. 2010 Jun;18(2):83-9
  7. Fontana A, Bistolfi A, Crova M, Rosso F, Massazza G. Arthroscopic treatment of hip chondral defects: autologous chondrocytetransplantation versus simple debridement--a pilot study. Arthroscopy. 2012 Mar;28(3):322-9
  8. Botser IB, Smith TW Jr, Nasser R, Domb BG. Open surgical dislocation versus arthroscopy for femoroacetabular impingement: a comparison of clinical outcomes. Arthroscopy. 2011 Feb;27(2):270-8

 

 

 

 

Marcelo_Roggembaum_140x140_01.jpg
Marcelo Roggembaum
International Product Manager