Geistlich Bio-Oss® Collagen

Geistlich Bio-Oss® Collagen é composto por 90% de grânulos de Geistlich Bio-Oss® e 10% de colágeno suíno. Os 90% de partículas de Geistlich Bio-Oss® garantem ao Geistlich Bio-Oss® Collagen todas as vantagens do biomaterial n.º 1 cientificamente comprovado na odontologia regenerativa1.

Os adicionais 10% de colágeno suíno o tornam mais moldável e fácil de manejar. O seu potencial regenerativo distingue claramente Geistlich Bio-Oss® Collagen de plugues de colágeno.

Geistlich Bio-Oss® Collagen é usado nas mais variadas indicações, incluindo preservação do rebordo, enxerto ósseo menor e regeneração periodontal. O colágeno é absorvido após poucas semanas e não substitui a função de barreira de uma membrana. 

“Geistlich Bio-Oss® Collagen apresenta melhores propriedades de manuseio comparado ao Geistlich Bio-Oss® granulado, é facilmente moldado e de rápida aplicação.”
Prof. Mariano Sanz, Madri, Espanha

 

Geistlich Bio-Oss® Collagen é “A Escolha do Mestre” porque

  • O colágeno adicionado ao Geistlich Bio-Oss® Collagen melhora o manuseio e a adaptação à morfologia do defeito2-3.
  • As partículas de Geistlich Bio-Oss® servem de suporte para o novo osso e promovem uma regeneração óssea previsível4,5.
  • Os tecidos enxertados com Geistlich Bio-Oss® Collagen mantêm volume estável a longo prazo devido à taxa de reabsorção baixa do material6,7.
  • Geistlich Bio-Oss® Collagen melhora significativamente a inserção clínica e a profundidade alveolar na cirurgia periodontal8.
  • Geistlich Bio-Oss® Collagen tem a capacidade de promover a regeneração do ligamento periodontal em defeitos intra-ósseos9.

As características de manuseio são aprimoradas pela adição de 10% de colágeno. O bloco Geistlich Bio-Oss® Collagen pode ser moldado facilmente, aderindo bem ao local do defeito.

 

Referências:

  1. iData Research Inc., US Dental Bone Graft Substitutes and other Biomaterials Market, 2015 iData Research Inc., European Dental Bone Graft Substitutes and other Biomaterials Market, 2015.  
  2. Trevisiol L, et al.: J Craniofac Surg 2012, 23(5): 1343-48.
  3. Rohner D, et al.: Int J Oral Maxillofac Surg 2013; 42(5): 585-91.
  4. Cardaropoli D, et al.: Int J Periodontics Restorative Dent 2012, 32(4): 421-30.
  5. Jung RE, et al.: J Clin Periodontol 2013, Jan; 40(1): 90-98.
  6. Araujo MG, et al.: Clin Oral Implants Res 2010; 21(1): 55-64.
  7. Mordenfeld AT, et al.: Clin Implant Dent Relat Res 2012, Oct 15 (Epub ahead of print).
  8. Sculean A, et al.: J Clin Periodontol 2005: 32: 720-24.
  9. Nevins ML, et al.: Int J Periodontics Restorative Dent 2003; 23: 9-17.